Ensino Médio

Página anterior

Notícias

Praticar é o caminho para a nota mil

27/06/2017 9:11 AM


Quando se fala no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), a redação é uma das questões que mais preocupa os alunos, pois a produção textual é responsável por grande parte da nota do Exame, que seleciona os jovens para o Ensino Superior.

Para que os alunos estejam preparados, a Facex criou ABASE de redação, um ambiente no qual, a partir do 9º ano do Ensino Fundamental, os alunos passam a ter oficinas de redação. Lá eles são orientados e criam estratégias para conseguirem um bom desempenho nas produções textuais. Eles também produzem textos que são corrigidos posteriormente de acordo com as competências levadas em consideração pela banca examinadora do ENEM.

Para os alunos  do 9º ano, as oficinas acontecem trimestralmente, já para as turmas da 1ª série, acontecem mensalmente e abordam teorias e escrita a partir de vários gêneros textuais. E finalmente, para as 2ª e 3ª séries, os encontros são intensificados, acontecendo quinzenalmente e neles são abordados temas e gêneros voltados especificamente para o Exame, sendo os temas predeterminados ou surpresa, de acordo com a proximidade da prova.

Nas oficinas os professores também trabalham a questão do tempo que o aluno poderá utilizar no dia da prova. No início do ano o aluno tem 1h30 para escrever a redação, ao passo que os encontros acontecem e a prova se aproxima, o tempo vai sendo reduzido até chegar a uma hora. Esse exercício de trabalhar bem o tempo é necessário para que no dia da prova os alunos tenham maior facilidade de gerenciar as questões objetivas e a produção textual.

Após as oficinas, os alunos marcam um horário na ABASE para que suas redações sejam corrigidas. Na ocasião, os revisores leem as produções e pontuam de acordo com as competências exigidas pelo ENEM. Os alunos também podem tirar dúvidas com relação ao tema, pedir dicas de como abordar determinados assuntos, procurar indicações de livros, tudo o que ele achar necessário para a melhoria dos textos.

No momento da consultoria, os revisores explicam o que o aluno errou, onde pode melhorar e quais os pontos fortes do texto. Essa prática é importante para que o aluno sinta que está no caminho certo. A coordenadora da ABASE, a professora Janine Galvão, explica que quando o aluno sabe que pode melhorar, ele vai tentar ir sempre além: “É importante explicar onde ele errou, mas também dizer os aspectos que ele abordou de forma correta, isso é um estímulo para ele seguir buscando a excelência, a nota mil”, afirma.

Os alunos que obtêm notas abaixo de 500 têm a chance de reescrever a redação, normalmente na semana seguinte, em sala de aula e com supervisão. Com mais tempo para estudar o tema e rever os erros cometidos na primeira tentativa, os estudantes conseguem melhorar as produções e alcançar notas maiores.

Entre as principais dúvidas dos alunos está a proposta de intervenção, que é uma das competências avaliadas pela banca do Exame. A coordenadora explica que para os alunos ainda é difícil pensar em soluções para problemas que eles muitas vezes nem percebiam que existiam, mas com a formação de um pensamento crítico, e se colocando no lugar do outro, eles conseguem encontrar saídas e propor intervenções coerentes. “Quando eles se veem dentro do problema, conseguem ver a situação como algo concreto”, afirma. Essas e outras estratégias são propostas para auxiliar na hora de escrever a redação.

O projeto, que foi criado em 2015, já vem dando resultados positivos. Vários alunos em 2016 conquistaram a nota máxima nas correções feitas pela ABASE. Perceber-se no processo de construção do texto é fundamental para que o aprendizado seja constante. Quando o aluno começa a entender o que se espera dele, passa a olhar criticamente para a sua produção textual, e assim busca as melhorias.

A coordenadora afirma que a evolução dos alunos é visível, inclusive no interesse em trabalhar as questões interdisciplinares. Eles têm conseguido relacionar conteúdos e utilizar uma visão crítica dos assuntos abordados, essas são especificidades que fazem diferença na hora da prova.

 

Ver mais Notícias

Telefone
(84) 3235.1415
Unidade Capim Macio
Rua Orlando Silva, 2896, Capim Macio, Natal/RN
Unidade CIC
Avenida Mal Deodoro da Fonseca, 540, Cidade Alta, Natal/RN.